segunda-feira, 22 de janeiro de 2007

Entrevista - M-Dogg 20 (Matt Cross)

Gostaria de apresentar aqui o que é a primeira entrevista de uma série de entrevistas com lutadores de federações independentes. Começando com pé direito o primeiro entrevistado é ninguém menos que Matt Cross, mais conhecido por aí como M-Dogg 20. Ele começou por influência de seu amigo, Josh Prohibition (o da esquerda na foto ao lado), depois que esse lhe apresentou a ECW. Começaram então a lutar no circuito backyard, as lutas de quintal, onde ganharam fama e aparecem em vários vídeos da série Backyard Wrestling. Algum tempo depois de lutar como amador ele fez treinamento profissional e ingressou de vez no mundo do pro-wrestling. Clique nas imagens para ampliá-las.


4 Cantos: Você, assim como outros do circuito independente, começou lutando "backyard wrestling" com os amigos. Considerando que muitos adolecentes já se machucaram feio com isso e que lutadores como Mick Foley já demonstraram seu descontentamento com o movimento, mesmo ele próprio tendo sido um "backyarder" quando era jovem, o que você acha do estado atual do movimento do backyard wrestling?

M-Dogg 20: As crianças sempre irão imitar seus heróis. As pessoas jogam futebol americano em seus quintais fingindo ser os jogadores famosos que vêem na TV. À medida que a popularidade da luta-livre cresce, também cresce o backyard wrestling, a luta livre caseira de quintal, simplismente acontece. Quem sou eu pra dizer à alguém que ele não pode se divertir com seus amigos no seu próprio quintal? Porém, é importante lembrar que se você está adentrando o mundo do backyard wrestling por qualquer razão que não seja a diversão, então é melhor que pare. Você NUNCA será notado por lutar no quintal e ela NÃO vai te levar lugar algum no mundo da luta profissional. Mas se você quer se divertir no quintal, tome cuidado e se divirta.


4C: O quão importante foi o treinamento profissional pra você? Você acha que é possivel que algum amador tenha sucesso profissionalmente sem esse treinamento, baseado somente na observação e/ou auto-treinamento?

M: Essa é fácil...NÃO. Você TEM que treinar com algum profissional do ramo, sem dúvidas.


4C: Você é tido como o inovador e inventor de vários golpes, como o Flagpole Press, o Shooting Star DDT e o Shooting Star Legdrop, assim como ligar o Sasuke Special num Hurracanrana fora do ringue, o que foi bem legal. O que passa pela sua cabeça ao desafiar a gravidade? Você não teme que possa ter um fim similar ao do Hayabusa, por exemplo?

M: Meus 10 anos de treinamento com ginástica olímpica me permitem fazer coisas que outras pessoas não estão treinadas a fazer. Basicamente eu venho treinando Shooting Star Presses desde que eu tinha 10 anos de idade. Eu tento lutar num estilo que eu gosto, do ponto de vista de um fã.


4C: Em 2003, o jogo de videogame Backyard Wrestling: Don't Try This at Home foi lançado e, além de estar na capa, você é lutador dentro do jogo. O quão legal foi ser imortalizado em forma de videogame? Tem algum motivo pelo qual você e Josh Prohibition foram deixados de fora da sequencia, Backyard Wrestling 2: There Goes The Neighbourhood?

M: É muito legal estar em um jogo de videogame. Eu sempre achei que um dia ia "cair a ficha", mas até hoje não caiu. Eu pretendo mostrar o jogo pros meus filhos um dia quando eu os tiver e dizer pra eles que "eles tem que ser tão 'cool' quanto eu", "fazer jus ao nome". E eu não estou no segundo jogo porque eu mesmo pedi pra ser retirado. Não recebi um centavo pra estar no primeiro jogo. Eu não achei isso certo, então quando eles lançaram uma versão beta do jogo que me tinha como personagem eu os mandei que tirassem meu personagem.


4C: Infelizmente o jogo tirou notas medíocres na maioria dos reviews, mesmo aparentemente tendo tudo para ter sucesso: de um roster sólido à uma premissa inovadora. Vendo que o jogo diverge do que o backyard e o indy wrestling realmente são, você diria que a Eidos fez um bom trabalho em representar o estilo nos videogames?

M: Eu não posso responder, pra falar a verdade eu não tenho um Playstation 2 ou um Xbox, então eu não posso nem jogar o jogo, hahaha.


4C: Em uma entrevista recente (http://www.genickbruch.com/interviews/matt_eng.html), voce disse: "fazer parte da divisão cruiserweight da WWE é meu emprego dos sonhos e meio que meu objetivo na vida". Você não acha que fazer parte do roster da WWE iria de certo modo enfraquecer seu gimmick, sendo que eles tem restrições de golpes e a maior parte dos seus golpes teriam que ser trocados por outros menos perigosos (de um jeito parecido com o que aconteceu com CM Punk)?

M: Essa é outra pergunta fácil. Se você quer viver do wrestling então você precisa lutar na WWE. Eu quero viver do wrestling...logo, eu adoraria lutar na WWE.


4C: Mesmo você nunca tento lutado na Ring of Honor até 7 de Outubro de 2006, você não era estranho ao público da RoH. Como foi finalmente fazer seu debut na RoH e como você julgaria a reação da platéia?

M: A reação do público foi animal. Eles gritavam "MDogg!" antes mesmo de a luta começar, fez me sentir muito bem. Eu gostei muito de trabalhar pra RoH até agora, tem sido muito divertido. Espero causar um impacto maior ainda em 2007. Eu acho que o meu estilo é perfeito pra companhia e eu combino com quase todos, se não todos, os lutadores do roster. Ainda há muitas lutas boas por vir.


4C: Lesões nos joelhos são bem comuns entre os lutadores hogh-flyers, especialmente nas indies, e são conhecidas por não só atrasar suas carreiras, mas às vezes encerrá-las de uma vez. Você já teve algum problema com seus joelhos? Os golpes aéreos são mesmo tão intensos neles?

M: Golpes aéreos são muito perigosos pros joelhos porque eles na maioria das vezes absorvem todo o impacto quando você chega caindo. Se você dá um Moonsault de cima da terceira corda você acaba ficando a uns uns dois metros, dois metros e meio do chão e cai com a maior parte do peso, se não todo, em cima dos joelhos. Eu levo a sério ir pra academia e ficar em forma, então eu faço vários exercícios específicos pras partes do corpo nas quais a luta livre pega mais pesado.


4C: Agora que você lutou pelo mundo todo, você deve ter participado e dezenas de lutas interessantes. Qual foi o lutador com o qual você mais gostou de trabalhar, e qual o melhor país pra se lutar?

M: Eu gosto muito de lutar no Japão, simplismente porque lá é muito diferente. Os fãs lá são os melhores e extremamente respeitosos. É uma ótima sensação quando eles te dizem que você fez uma "grande luta" depois dela. Gosto também da platéia da UWA Hardcore Wrestling em Toronto no Canadá, eles são muito cheios de energia e me lembram da antiga platéia da ECW. Basicamente eu gosto de lutar em qualquer lugar no exterior porque é uma experiência muito legal e os fãs parecem apreciar mais. Eu gosto de lutar com caras como Jerry Lenn, Sonjay Dutt, Chris Hero, Ultimo Dragon, Josh Prohibition e muitos outros. Foi muito legal ter a chance de lutar contra o Ultimo Dragon tanto no Canadá quanto na Itália. Quando eu comecei a lutar em 2001 eu nunca tinha imaginado que eu teria a chance de lutar contra uma lenda viva, e em dois países diferentes.


4C: Dez anos como um ginasta claramente te ajudaram a ganhar a agilidade e flexibilidade necessárias para executar os golpes high-flying. Há algo mais que você recomendaria àqueles querendo seguir o mesmo caminho? Como Breakdance, que ajudou Jack Evans, ou talvez Le Parkour?

M: Eu recomendo ginástica olímpica e treinamento em wrestling amador (luta livre greco-romana/freestyle) e em Mixed Martial Arts pra qualquer um interessado na luta-livre profissional.


4C: OK, eu prometi uma entrevista curta, então é melhor a gente parar por aqui. Tem algo que você gostaria de dizer aos fãs brasileiros?

M: Obrigado pelo tempo cedido, eu realmente espero poder visitar o Brasil um dia. Eu sempre ouço que é um país incrível mas eu realmente queria ver por mim mesmo. Por favor visitam minha página do MySpace: www.myspace.com/dontcomehomebleeding


4C: Denovo Matt, muitíssimo obrigado por aceitar nosso pedido de entrevista, os fãs do wrestling independente de todo o país agradecem.

M: O prazer é meu, obrigado pelo apoio!


Lutas recomendadas:
- Super Dragon & Excalibur vs M-Dogg 20 & Josh Prohibition, PWG 5/22/04
- M-Dogg 20 vs Josh Prohibition, CZW
- M-Dogg 20 & Josh Prohibition vs. the Backseat Boyz, CZW


É isso aí, espero que tenham gostado. Queria esclarecer, no caso de alguém ainda estar em dúvida, que esse realmente é o M-Dogg 20 e que as perguntas foram realmente feitas por nós, seguindo algumas sugestões do fórum da FILL. A gente tem a entrevista em inglês, quem quiser lê-la original, antes da tradução, posta um comment com email que eu mando.

3 Comentários:

At 11:57 AM, janeiro 22, 2007, Blogger Thrymheim disse...

Po fico do caralho. as perguntas todas bem elaboradas... e as respostas bem claras.
Muito massa, parabéns ai pelo esforço!

O move set desse cara é muito foda, e sobre o que ele falo da WWE infelizmente é verdade, é quase a mesma coisa pra música as bandas underground são sempre as melhores mas não enxem barriga.
Só o salário do Hogan ou do John Cena deve vale todos os contratos da CZW ou RoH :/

Parabéns mais uma vez!

 
At 12:32 PM, janeiro 22, 2007, Anonymous LucasWrestling disse...

Bela entrevista, obrigado pela tradução ae frango!

 
At 7:01 PM, janeiro 22, 2007, Blogger Mateus "Nemo_Taker" disse...

Maravilha, o cara manja mesmo! =D
Tô pra ver o show com o debut dele no ROH, e tenho certeza de que não vou me decepcionar... ;]

Parabéns ae Felipe, mandou bem velho, mal posso esperar pelas próximas entrevistas! *.*

(Y)

 

Postar um comentário

<< Home